PUBLI CÂMARA SENADOR CANEDO PI 4919 FULL
Logomarca
Nublado
º
min º max º
CapaJornal
Versão Impressa Leia Agora
Domingo. 11/04/2021
Facebook Twitter Instagram

NOTÍCI@PURA | Divino Olávio

POLÍTICA

Coluna Noticia Pura - 06 De Agosto De 2019

06/08/2019 às 09h33


POR NOTÍCI@PURA | Divino Olávio

facebook twitter whatsapp

Crise financeira no diretório do MDB leva Daniel a demitir funcionários

Numa pindaíba de dar dó, pelo fato de o partido não ter feito nenhum deputado federal em Goiás, na eleição de 2018, e com dívidas para honrar, o presidente do Diretório Regional do MDB, ex-deputado Daniel Vilela, demitiu os quatros funcionários com mais tempo de casa no partido, na segunda-feira da semana passada. São eles: o advogado Marconi Pimenteira, Cesar Marinari e as secretárias Marina e Mônica. O partido recebia mais de R$ 100 mil do Fundo Partidário até janeiro, mas com o início da nova Legislatura, em fevereiro, segundo a coluna foi informada, os repasses ao diretório despencaram para valores ínfimos, algo em torno de 5% do que recebia antes. Diante do desastre financeiro por conta dos erros políticos cometidos em 2018, o presidente  Daniel Vilela recorreu à generosidade do presidente nacional do partido, Homero Jucá, com o pedido para melhorar um pouquinho o repasse ao diretório goiano. Daniel, segundo uma fonte, argumentou com Jucá a rica história do PMDB de Goiás. E o partido realmente construiu uma história robusta, como por exemplo, os grandes comícios das “Diretas Já” e “Muda Brasil”, em 1984, com mais de 500 mil pessoas na Praça Cívica, sob  liderança do então governador Iris Rezende. As grandes obras de pavimentação de rodovia; a quarta etapa da Usina Hidrelétrica de Cachoeira Doura – privatizada no governo de Maguito Vilela, em 1997; a construção de casas com a ajuda da população, por meio de mutirões. Goiás chegou a ocupar três ministérios naquela época – o de Desenvolvimento Urbano, o de Agricultura e o da Reforma Agrária. Foi a época de unidade do PMDB, da qual fizeram parte também Henrique Santillo, Mauro Borges, Maguito Vilela, Nion Albernaz, Irapuan Costa Júnior, Iram Saraiva, João Divino Dorneles, Daniel Antônio e tantos outros. Com base em informações obtidas pela coluna, a situação financeira do Diretório Regional do MDB no Estado já está muito difícil, e com tendência a piorar, durante os próximos anos.

Cara do MDB

Um dos funcionários demitidos pelo presidente do MDB foi César Marinari, campineiro com mais de 15 anos de tempo de serviço de serviço no diretório do partido. Marinari  (foto) é tão identificado com a sigla, que se houvesse a necessidade de usar a imagem de algum dos seus funcionários com mais cara de MDB para a missão, provavelmente seria ele o escolhido. Marinari trabalhou no partido desde o início da década de 80, com Iris Rezende.

 Situação no PSDB é semelhante

Mas justiça seja feita ao MDB, não é só o partido que está vivendo situação de penúria por conta de queda do Fundo Partidário, o PSDB anda tão mal das pernas que até hoje não pagou dívidas deixadas pela campanha da sigla, em 2018. O mago Ademir Lima, marketeiro contratado como “consultor político” pela campanha de Zé Eliton ao governo, até hoje não viu a cor de nenhum Real a título de recebimento do seu crédito com os tucanos. É que o PSDB elegeu apenas um deputado federal em Goiás, Célio Silveira. O valor do Fundo Partidário repassado aos diretórios estaduais é definido pelo diretório nacional, que é feito com base ao número de deputados federais.

Preferência por Zé

O ex-governador Marconi Perillo tem preferência pelo nome do também ex-governador José Eliton, para ser o candidato do PSDB à sucessão do prefeito Iris Rezende, em 2020. É o que muitos tucanos andam dizendo por aí. Também, há que se ressalvar que o partido não tem nome melhor para essa função na capital.

Vice-líder

Está sendo cogitada a criação do cargo de vice-líder do  governo, na Assembleia Legislativa, já para esse semestre. E o nome mais cotado para assumir o posto é o deputado Humberto Aidar (MDB), considerado o mais próximo de Caiado entre os deputados. Não há registro de que tenha havido outro fato semelhante a esse na história do Estado.

Oposição discute união em Rio Verde para enfrentar Paulo do Vale, em 2020

Oposição sinaliza a intenção de união em Rio Verde, para vencer o prefeito Paulo do Vale (sem partido), em 2020. Dr. Juraci se destaca nas pesquisas como o melhor posicionado nas pesquisas. Representantes dos partidos de oposição fizeram a primeira reunião, para discutir a unidade, na sexta-feira, dia 2. E de agora em diante a intenção é deles é de voltar a se reunir uma vez por mês, para aprofundar as conversas. Sede de algumas das maiores empresas instaladas em Goiás, Rio Verde é a mais importante cidades de Goiás e de maior geração de emprego e renda.

Lissauer participa

 Participaram do encontro representantes dos partidos  PSB, MDB, PDT e PSDB. E já foi aberto o diálogo com o PSD, PRTB, PP e PR pra tentar atraí-los para o projeto.  O nome da oposição melhor posicionado nas pesquisas atualmente é o do ex-prefeito Dr. Juraci Martins.  E embora não cogite concorrer, a princípio, o deputado Lissauer Vieira (PSB), presidente da Assembleia Legislativa, promete participação efetiva dos próximos encontros, com vista à busca do nome de consenso.

  Outros nomes

 Além do Dr. Juraci Martins, há outros  nomes lembrados nas conversas, como potenciais candidatos são o reitor da UniRV, Sebastião Lázara, deputado Karlos Cabral, os médicos Drs Eduardo Martins e Osvaldo Júnior; o coronel da PM, Ricardo Rocha e o delegado Danilo Fabiano, dentre outros. 

Saúde, governador

Nota-se nos meios políticos do Estado certa preocupação com a saúde do governador Ronaldo Caiado, com uma forte torcida para que ele se recupere rapidamente do mal-estar que lhe causou febre, no fim de semana. Nós também estamos na torcida.

Morrinhos

O secretário de Saúde de Morrinhos, André Luís (MDB), é pré-candidato a prefeito na cidade, nas eleições do ano que vem.  

 Anicuns

O deputado Rubens Marques (Pros) é candidatíssimo a prefeito de Anicuns. Com o apoio efetivo do vice-governador Lincoln Tejota. E certamente a torcida do velho amigo Sebastião.

 Goiânia

Segundo uma fonte próxima à parlamentar, a vereadora Priscila Tejota pode disputar a sucessão do prefeito Iris Rezende (MDB), em Goiânia. Só que para isso ela terá que ir para outro partido, visto que no PSD o candidato será o deputado federal Francisco Júnior.